Minhas Lições sobre Transformação Digital e a Agilidade

Atualizado: 17 de Ago de 2018


Muitas empresas que hoje desejam mergulhar na transformação digital, precisam e necessitam da colaboração de todas as áreas na empresa, mas nem sempre as áreas interagem e se comunicam infelizmente.


Agilidade possui alguns mecanismos que provocam nas pessoas uma mudança de comportamento e quando utilizada como mindset, podemos alcançar a colaboração, o compartilhamento de informações e melhor ainda, o engajamento.


Permite total controle na tomada de decisões e assim o time decide sem medo de errar, até porque isso pode e vai acontecer, garanto! Faz parte do aprendizado, não tenha medo de errar.


Para termos cada vez mais sucesso ao adotar agilidade, devemos nos basear em três princípios ou passos, que creio que vocês já ouviram falar, que são a inspeção, a adaptação e o mais importante de todos, como diz um amigo meu, o 'suprassumo' que é a transparência, pois ao nos anteciparmos em sermos o mais transparente possível, estaremos livres de uma série de problemas. Assim, se conseguirem fazer isso, estarão mudando o seu mindset e trilhando o caminho certo. Com certeza você terá um time de alta performance e conseguirá obter o sucesso que tanto deseja.

Independentemente do tipo de framework que você venha a usar, como o (Scrum, Kanban, Lean, etc), sempre coloque em prática estes três passos. Procure fazer uma etapa de estimativas com o time todo envolvido, sempre esteja disposto a escuta ativa, seja colaborativo e comunicativo, pois isso será de extrema importância para todos.


Vou falar sobre o Scrum Framework que eu tenho utilizado ultimamente. É um roteiro de trabalho leve e simples de entender, mas, não é tão fácil de dominar, pois nem sempre todas as cerimônias são pontuais como deveriam ser. Sempre fique atento a dois artefatos: o backlog do Produto e o backlog da Sprint, que são dois pontos muito importantes e que devem estar no nosso radar. O Product Owner é dono desses dois backlogs e é o responsável por mantê-lo ordenado por ordem de execução e prioridade.


Quando passarmos para a etapa de estimativas, o time deve estar envolvido na quebra dos épicos em estórias de granularidade menor, assim o entendimento ficará mais fácil para todos e a dinâmica de pontuação também. Um próximo passo seria dar atenção ao ciclo de interação e planejamento e sempre executar um Grooming para a Sprint seguinte, aí quando você fizer a Planning, o time terá mais visibilidade e entendimento necessário para tratar as estórias de forma correta. Chamamos isso de investimento e não perda de tempo, o quanto de tempo eu vou investir fará com que eu melhore o planejamento das minhas estórias. E qual seria o objetivo desse refinamento? Uma imersão no entendimento da estória, e só levar para a reunião de Planning o que realmente eu terei de construir.


Após isso, o time poderá pontuar as estórias no cenário que comporte dentro de uma Sprint, e não esqueça de sempre considerar esforço x complexidade ao pontuar suas estórias. Faça isso e depois ajuste com o time as divergências de pontuação até todos chegarem num consenso.


As pessoas que gerenciam os projetos precisam ter um horizonte de entrega, assim dessa forma, a tomada de decisão será bem mais fácil para seu projeto.


Pergunte-se primeiro: O que podemos fazer de forma mais simples para podermos dar os primeiros passos em um cenário que se encontra no nível caótico? Segundo, mostrar o que estes primeiros passos deram de resultado para o projeto no tempo estimado e com que qualidade.


Bom, estes pontos que abordei tem dado um bom resultado, mas não foi do dia para a noite, levou um tempo para amadurecermos, mas não esqueça que a inspeção, a adaptação e a transparência, devem ser colocadas em prática sempre!


E você, compartilhe nos comentários o que tem aprendido com agilidade e transformação digital.


Até o próximo artigo!

Christina Iacobucci