O que significa MVP, o produto mínimo viável de seu negócio

Atualizado: 9 de Jun de 2018

Estamos vivendo uma verdadeira transformação nas empresas, a 4a. Revolução Industrial tem avançado a cada dia na organizações e na vida de todos nós.


Hoje é fundamental repensar como entregar produtos e serviços para clientes, os mecanismos do passado geram uma lentidão que nos dias atuais são fatais, hoje temos que buscar novas abordagens.


Eric Ries, autor do livro Lean Startup trouxe um novo direcionamento com o uso da abordagem de aprendizado do mercado com base em um MVP.




O que é um MVP?


MVP é acrônimo para Minimum Viable Product, ou em português Produto Mínimo Viável. Conforme apresentado até aqui, a metodologia Lean Startup possui um componente central, chamado de loop construir-medir-aprender.


Se existe uma ideia que transformou a maneira como buscamos a inovação hoje, essa é a de usar o método científico para lidar com a incerteza. Isso significa:

  1. Definir uma hipótese;

  2. Criar um pequeno produto ou recurso para testar essa hipótese;

  3. Aprender o que acontece;

  4. Realizar os ajustes necessários.

Observe que nesse método empresas trabalham em cima de hipóteses ao mesmo tempo em que realizam testes.


Destaco que o ciclo Construir-Medir-Aprender pode ser aplicado a praticamente qualquer coisa, não apenas novos produtos. Por exemplo, você pode testar um novo serviço, novos textos, novas ofertas do site ou um novo recurso para um produto já existente.


O primeiro passo ocorre com a descoberta de um problema que precisa ser solucionado. Em seguida, desenvolve-se um MVP para que o ciclo de aprendizagem inicie o mais rapidamente possível. Assim que um Produto Mínimo Viável for estabelecido, a startup consegue realizar os ajustes necessários com base nos resultados obtidos em testes realizados com clientes.


Importante ressaltar que por produto mínimo deve-se entender um produto que atenda a uma ideia inicial (com os requisitos mínimos e as funcionalidades necessárias para criar valor ao cliente). A palavra “mínimo” neste contexto, serve para diferenciar o modelo Lean de modelos mais tradicionais de negócio. Em outras palavras, significa dizer que o produto não precisa estar acabado para ir ao mercado. Ele precisa ter o mínimo para atender aos clientes e agregar valor.


Ainda sobre o conceito MVP, podemos quebrá-lo em três partes:


Minimum: produto com funcionalidades mais simples, entregue no menor tempo possível;

Viable: produto deve agregar valor e gerar receita;

Product: funcionalidades encaixadas em uma entrega que se assemelhe a um produto coeso e útil.


Portanto, MVP significa encontrar o equilíbrio na balança: um produto que agregue valor ao cliente, com o menor número de recursos no menor tempo possível. No livro Startup Enxuta, o MVP é aquela versão do produto que permite uma volta completa do ciclo construir-medir-aprender, com o mínimo de esforço e no menor tempo de desenvolvimento.


O Produto Mínimo Viável carece de diversos recursos que podem se provar necessários mais tarde. No entanto, de certa forma, criar um MVP requer trabalho extra: devemos ser capazes de medir seu impacto. Por exemplo, não é adequado construir um protótipo que seja avaliado por engenheiros e designers apenas em função da sua qualidade interna. Também precisamos colocá-lo diante dos possíveis clientes para avaliar a reação deles.

Pode até ser preciso tentar lhes vender o protótipo, como logo veremos.


Ao realizar o processo de medição e aprendizagem corretamente e com as pessoas certas (aqui entendido por público-alvo) a empresa terá uma ideia muito mais clara se está indo para a direção correta. Em caso negativo, significa que está na hora de fazer uma correção de curso para testar uma nova hipótese sobre o produto, serviço e/ou estratégia.


Como funciona o MVP?


Imagine que você esteja desenvolvendo um produto. Na etapa de desenvolvimento você faz muitos pressupostos, como por exemplo:


● Você assume que sabe o que seu público está procurando (entende os problemas do seu mercado);


● Você pressupõe uma estratégia de marketing eficiente;


● Você pressupõe uma estratégia de preço que seja sustentável.


O fato é que não importa o quanto você saiba do produto e do mercado, alguns de seus pressupostos inevitavelmente estarão errados. O problema é saber qual e para isso existe o MVP, com as etapas:


Saiba como o mercado funciona: antes de mais nada, você precisa ter um perfil de cliente definido para, em seguida, entender o contexto que sua empresa irá inserir-se (ou está inserida), bem como possíveis concorrentes e produtos já disponíveis.


Formule hipóteses: você precisa validar premissas antes de investir em um produto e lançá-lo. Por isso, nessa etapa, formule hipóteses sobre seu público, respondendo a perguntas como: o que meu cliente precisa? Que problemas ele tem?


Defina métricas e indicadores: o MVP é realizado com a interação entre empresa e público-alvo. Com base nas hipóteses levantadas, defina indicadores e métricas para avaliar o desempenho do processo de MVP.


Defina as funcionalidades do seu MVP: MVP tem a ver com equilíbrio entre tempo, recursos investidos e a forma como o produto será apresentado ao cliente a fim de agregar valor a ele. Por isso, aqui é hora de utilizar os dados coletados com a pesquisa de mercado e, com as hipóteses formuladas, definir as funcionalidades que serão testadas.


Teste: este é o momento para testar sem medo de errar, já que com o MVP o empreendedor poderá errar e encontrar soluções para seus erros. Lembre-se que o objetivo é melhorar o produto final de maneira que ele solucione um problema do público-alvo.


Caso o MVP tenha indicado que o produto não está pronto para ir ao mercado, você deve observar métricas e indicadores, bem como tudo que foi aprendido no processo e atuar nas melhorias. Por fim, a dica de ouro é:


Em hipótese alguma, jogue a toalha! Encontrar um MVP não é uma tarefa fácil e exige muitas e diferentes interações em uma jornada de tentativas e erros. Contudo, tenha certeza de que uma vez validadas as hipóteses, o investimento valerá a pena, pois o MVP impede de que sejam investidos recursos em um produto sem mercado.


Empreendimentos que vingam transitam de um erro a outro com rapidez, em um processo constante de adaptação, iteração e aprimoramento da ideia inicial. E o melhor de tudo é que os subsídios para a ideia são oferecidos por aqueles que interessam ao negócio: seu futuro cliente.


O MVP Inception, executado em Workshop ou Laboratório abre o ciclo de aprendizado sobre o mercado em que a empresa atua, permite alinhamento entre negócios e tecnologia da informação para definir como a solução será desenvolvida.


Em nosso próximo artigo sobre Inception vamos lhe apresentar um roteiro, um framework para que você possa executar em sua organização.


Se você tem interesse em participar dos ciclos de aprendizado do Garage Criativa, clique aqui e reserve sua vaga.


Até o próximo artigo.