Inception Pocket, uma inception ainda mais enxuta.



A proposta do Paulo Caroli no livro Direto ao Ponto é a execução de uma Inception Enxuta, em um laboratório, colaborativo, em uma semana de trabalho compreender o objetivo do projeto, identificar os principais usuários que terão contato com a solução e o escopo funcional de alto nível, ter insumos para definição da estratégia de lançamento incremental dos MVPs.


Direto Ao Ponto é uma técnica para compreender e planejar as entregas incrementais dos MVPs. A técnica organiza as ideias e funcionalidades em um modelo que busca compreender o objetivo principal do produto, considerando as jornadas dos usuários e os incrementos de entrega. Com atividades eficazes e rápidas, a técnica desafia as considerações tradicionais de projeto, como análise de requisitos, estimativas, escopo, capacidade e planejamento detalhado. ( Paulo Caroli, Artigo - Blog)

O framework Inception Enxuta foi desenhado para 5 dias de trabalho onde devemos alcançar as seguintes etapas:

  • Descrever a Visão e Objetivo do Produto

  • Entender e Priorizar quais os objetivos da área de negócio em relação ao Produto

  • Descrever os usuários, seus perfis e necessidades que impulsionam as funcionalidades que o produto de ter.

  • Entender o escopo funcional em alto nível, não aterrizado.

  • Iniciar o detalhamento sobre as percepções de risco, esforço e valor de negócio por área funcional.

  • Iniciar o mapeamento das principais jornadas de usuários.

  • Definir um roteiro de lançamento incremental, mostrando claramente os incrementos de MVP.

  • Por amostragem, de forma empírica, definir o esforço para desenvolvimento.

  • Preparar um horizonte de entrega para a solução esse contendo um cronograma e informações de custo.

Importante lembrar que o MVP, Produto Mínimo Viável, é aquela versão do produto que permite uma volta completa do ciclo construir-medir-aprender, com o mínimo de esforço e o menor tempo de desenvolvimento.


Rodando o framework Inception Enxuta em workshop's e Facilitações (Laboratórios Reais) pelo Brasil, times de produtos, desenvolvimento de projetos e sustentação tem me questionado se é possível ajustar o tempo de execução de uma Inception e a quantidade de


Etapas que nela são executadas.



No início me ví resistente, mas o mindset ágil diz que devemos nos adaptar, logo comecei a rodar para ajustando a proposta feita no livro. Eu acabei chamando de Inception Enxuta Pocket, essa sendo executada em 2 dias de trabalho.


QUANDO EXECUTAR?


Existem demandas onde os objetivos do produto ou solução já estão claros, usuários que vão utilizar já definidos (quem são, comportamento, perfil, dores, necessidades e ganhos esperados) e os objetivos e metas esperados pela área de negócios.

Essas demandas podem ser pequenas pequenas melhorias de um MVP, ou um pacote de itens de sustentação que estrategicamente fazem sentido serem executados paralelamente.


QUEM DEVE PARTICIPAR?


Aqui faço a proposta dos principais papeis: Facilitador, Scrum Master, Product Owner, Arquiteto, UX/UI, Especialista QA e Especialista de Sistemas (Sustentação ou Desenvolvimento).


ROTEIRO - INCEPTION ENXUTA POCKET


a) Apresentação do Projeto - O product owner apresenta o que deverá ser mapeado na durante o laboratório Pocket. Uma sugestão é que as informações podem já vir mapeadas num modelo Lean Canvas, que é uma adaptação do Business Model Generation do Alexander Osterwalder.


b) Visão Funcional de Alto Nível - Após entendimento inicial, onde a análise de cenário e contexto foi realizada, executamos a construção da visão funcional em alto nível do que será desenvolvido. Para nortear esse processo sugiro a utilização da proposta do 7 dimensões do produto. Detalhe importante um se pede na aplicação da técnica para detalhar os verbos solicitamos que sejam descritos as funcionalidades em alto nível.


c) Jornada do Usuário - Essa etapa importante construir a jornada do usuário para entender seu contato com a solução. Também ocorre quem alguns casos que não existem um usuário pessoa física envolvido com aquela solução, nesse caso essa jornada deve ser utilizada para entender a sequencia lógica de execução das funcionalidades.


d) Priorização - É necessário também uma priorização, não para definir o MVP, mas para entender como podemos construir o plano com horizonte de entregas. Uma sugestão é o uso do modelo MOSCOW.


e) Delivery Planning - Para finalizar aplica-se técnicas de estimativa de esforço e custo, planejamento de entregas (horizonte das entregas em ciclos de interação ou sprint's) e elaboração de documentação que será utilizada pelo Product Owner para escrever as HU's - Histórias de Usuário que serão levadas ao(s) time(s) de desenvolvimento.


UM ALERTA IMPORTANTE:


Se vocês executarem um roteiro POCKET esperando que tenha o mesmo resultado de um roteiro completo podem estar cometendo um erro, porque esse é para condições específicas e seu resultado já está mais direcionado.


A proposta de um POCKET não elimina a etapa de entendimento da demanda ou pré planning que deve ser feito com o time de desenvolvimento antes de uma planning.

Procurei mostrar neste artigo, uma proposta de execução de Inception que não elimina o que está proposto do livro Direto ao Ponto, tem me ajudado com demandas específicas, principalmente em melhorias e pacotes de sustentação, já projetos maiores onde é necessário estruturação do MVP, Inception Enxuta opção a ser tomada.


Até nosso próximo artigo,


Marco Antonio da Silva